Controle de custos: como escolher o que pode ser cortado do orçamento?

Compartilhar

Cuidar das despesas é essencial para garantir uma atuação viável e lucrativa da empresa. Por isso, o controle de custos tem uma grande importância, já que ajuda a cortar certos gastos e aliviar o orçamento.

Ao mesmo tempo, é preciso ter cuidado, pois nem todo valor pode ser cortado. É necessário pensar estrategicamente para fazer cortes que realmente ajudem o negócio. Do contrário, talvez eles gerem ainda mais problemas.

Para não ter dúvidas sobre o que fazer, veja como descobrir o que pode ser reduzido ao executar o controle de custos!

Conheça os impactos da atividade nos resultados

Antes de cortar uma atividade ou de diminuir os gastos associados, é essencial entender quais são os impactos no negócio. Pense, por exemplo, na segurança patrimonial. Não vale a pena simplesmente cortar os gastos, porque isso deixará a empresa mais vulnerável. Como consequência, os prejuízos podem ser muito maiores que a economia. Já uma etapa burocrática, que só gasta tempo e recursos, é passível de redução ou até eliminação.

O importante é compreender como determinada despesa interfere na qualidade, na segurança e no alcance de resultados estratégicos. Assim, pode-se evitar o um erro comum, que é o de fazer cortes que, na verdade, geram prejuízos na atuação do negócio ou na oferta para os clientes.

Entenda a diferença entre atividades de meio e fim

Uma boa forma de reconhecer os impactos de uma área nos resultados é identificar se ela se trata de uma atividade de meio ou de fim. As opções de meio são aquelas que não estão relacionadas ao que o seu negócio oferece para o cliente final, mas que são importantes para o funcionamento. É o caso das áreas de limpeza, conservação, segurança, recepção e assim por diante.

controle de custos

Já as atividades-fim são o núcleo do seu negócio, onde está o valor que é oferecido aos clientes. Então, na hora de reduzir os gastos, o melhor é focar em atividades de meio, pois as outras são essenciais para a percepção que o mercado terá sobre a sua empresa.

Avalie se existe uma alternativa para o controle de custos

Fazer uma contenção de despesas não tem que significar, necessariamente, cortar uma ação do cotidiano empresarial. Em vez de eliminar totalmente algo, vale pensar se existe uma alternativa que seja mais em conta.

Pensando nas atividades de meio, vamos considerar a parte de limpeza. Não é viável ficar sem profissionais que realizem a tarefa, certo? No entanto, há como fazer uma gestão de pessoas de maneira diferente. Em vez da contratação interna, surge a possibilidade de terceirizar.

Nesse caso, o negócio ainda terá um time focado na limpeza, na conservação e na manutenção. A diferença é que, por não serem contratados, os profissionais geram menos despesas. Portanto, contratar uma prestadora de serviços se torna uma opção em diversas situações.

Priorize o custo-benefício diante das mudanças

Em vez de apenas atuar no controle de custos, também é importante pensar na relação de custo-benefício dos cortes do orçamento. Afinal, como visto, não vale a pena retirar certos gastos se isso for afetar a qualidade.

A terceirização é um exemplo. Não adianta contratar a empresa com o orçamento mais barato se o time não for especializado ou eficiente. Nesse caso, a economia pode não compensar e causar mais dificuldades que vantagens. Portanto, o melhor é dar prioridade a uma empresa adequada, com um time preparado e que atenda aos benefícios. Inclusive, é uma maneira de fazer uma espécie de investimento, com um retorno na forma de qualidade e desempenho.

Executar um bom controle de custos é indispensável para que o negócio tenha saúde financeira. Sabendo o que cortar do orçamento, é possível aproveitar ao máximo os recursos sem que a atuação se torne menos interessante.

Como a terceirização é uma possibilidade atraente (e econômica), entre em contato conosco da Getafe e veja como podemos ajudar!

Comentário no facebook

banner mãos dadas
banner mãos dadas mensagem entre em contato